Local:

UFCG/ Centro de Humanidades/ Unidade Acadêmica de Geografia/ Curso de Geografia

2013.1

Monografia de Graduação

Título:

Modalidade:

Período:

Orientador:

Martha Priscila Bezerra Pereira

Autor:

Antônio Pereira Cardoso da Silva Filho

Resumo:

Os agentes Comunitários de Saúde (ACS) da Estratégia Saúde da Família (ESF) e os Agentes de Combate a Endemias (ACE) da Vigilância Ambiental em Saúde (VAS), apesar de sofrerem influências e determinações de fatores normativos, desenvolvem competências e habilidades que, associadas a práticas sociais, são capazes de influenciar no surgimento de novas práticas sócioterritoriais. Assim, evidencia-se uma perspectiva multidisciplinar que necessita de um olhar científico menos unilateral na estruturação de alternativas inovadoras para se trabalhar determinadas temáticas. Desta forma, esta pesquisa tem por objetivo analisar como as competências dos agentes de saúde influenciam no desenvolvimento de práticas sócioterritoriais no espaço urbano de Campina Grande – PB. Considerando tanto os aspectos teórico-metodológicos, quanto os procedimentos práticos para o reconhecimento empírico, realizou-se os seguintes procedimentos metodológicos: a) trabalho de campo exploratório; b) treinamento nas técnicas de coleta de dados e informações e; c) trabalho de campo realizado nas áreas de atuação dos agentes de saúde, em entrevistas individuais com os ACS e ACE mais antigos do Município e na entrevista com o grupo focal. Vale ressaltar que cada etapa do trabalho de campo foi submetida a procedimentos de análises específicos, sendo que posteriormente foi triangulada todas as informações adiquiridas no decorrer deste processo. Percebe-se que os agentes de saúde desenvolvem competências em níveis diferenciados, de modo que estas são resultados de interações espaciais, que por sua vez, conduz fatores inibidores e propulsores no seu desenvolvimento. A complexidade e multidisciplinaridade no trabalho destes agentes incidem em meio a modificações de objetos do espaço, educação em saúde, auxílio social, cooperação assistencial e na recuperação e prevenção de doenças na localidade de atuação, atuando em uma perspectiva de promoção a saúde.

Palavras-chave:

Políticas públicas de saúde; promoção a saúde; competências sociais; Geografia.

Modalidade:

Título:

Monografia de Graduação

Local:

UFCG/ Centro de Humanidades/ Unidade Acadêmica de Geografia/ Curso de Geografia

2014.1

Período:

Orientador:

Autor:

Martha Priscila Bezerra Pereira

Marcela de Sousa Silva

Resumo:

Este estudo tem como tema principal saneamento e suas repercussões para a saúde, em meio a uma população carente que não dispõe de serviços básicos. O saneamento inadequado interfere diretamente na vida das pessoas que vivem em ambientes insalubres. A incidência de doenças em ambiente sem saneamento básico é maior em pessoas que vivem em ambientes limpos, a falta de coleta de lixo, rede de esgoto e água para toda população vai acarretar problemas ambientais que afetará diretamente a vida da população existente. Nas áreas de população de baixa renda como é o caso deste estudo, onde as pessoas em sua grande maioria vivem de benefícios do governo federal com precário acesso a água, tem-se poucas alternativas para uso da água que são poços artesianos, barreiros e cisternas públicas que são abastecidas pelo exército, pois poucas são as residências que tem cisternas particulares. Desta forma, este pesquisa tem como objetivo analisar e comparar a situação do saneamento e o modo de vida em duas microáreas, 04 e 20 atendidas pela Estratégia Saúde da Família (ESF), no município de Gado Bravo – PB. Para efetivação da pesquisa foram utilizados dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) e Sistema de Informações da Atenção Básica (SIAB), para melhor entendimento da situação do saneamento básico.

Palavras-chave:

Saneamento básico. Comunidades. Ambientes insalubres

Período:

2015.1

UFCG/ Centro de Humanidades/ Unidade Acadêmica de Geografia/ Curso de Geografia

Local:

Monografia de Graduação

Modalidade:

Título:

Orientador:

Prof. Dr. Xisto Serafim de Santana de Souza Júnior

Autora:

Isabel Correia de Araújo

Resumo:

Este trabalho é o resultado de um estudo sobre o perfil epidemiológico do município de Juarez Távora–PB afim de compreender a configuração do espaço. Mediante a necessidade de associar as principais doenças notificadas no município aos fatores que as condicionam como pressuposto para compreender o espaço, é desenvolvido uma pesquisa de caráter quantitativa, se apropriando dos seguintes procedimentos metodológicos: levantamento bibliográfico, análise de dados estatístico do município e análise de paisagens inseridas no contexto das áreas de risco. De acordo com o levantamento dos dados, verifica-se que a classificação atual do perfil epidemiológico do município é resultado das ações do homem no espaço. Essa relação também envolve a questão cultural em virtude das práticas relacionadas a higienização, alimentação e outros fatores que interferem na condição de saúde do indivíduo no decorrer do tempo. Ao estudar o espaço, tornou-se fundamental analisar a paisagem na perspectiva de identificar áreas de risco à saúde que refletem o modo de vida das pessoas em sociedade, por essa razão foi necessário utilizar registros fotográficos.

Palavras-chave:

Perfil epidemiológico, espaço e saúde.

Período:

2017.1

Local:

UFCG/ Centro de Humanidades/ Unidade Acadêmica de Geografia/ Curso de Geografia

Monografia de Graduação

Modalidade:

Título:

Orientadora:

Profa. Dra. Martha Priscila Bezerra Pereira

Autora:

Glaciane Maria da Silva Santos

Resumo:

Promoção da saúde é o nome dado ao processo de capacitação da comunidade para atuar na melhoria de sua qualidade de vida e saúde, incluindo uma maior participação no controle deste processo. A mesma almeja fomentar qualidade de vida e reduzir as vulnerabilidades e os riscos à saúde relacionados aos seus determinantes e condicionantes. A primeira experiência dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) como uma estratégia abrangente de saúde pública estruturada ocorreu no Ceará em 1987, no Programa de Agentes de Saúde (PAS), com objetivo duplo de gerar renda para as mulheres daquela área e ao mesmo tempo, contribuir para a redução da mortalidade infantil, priorizando a realização de ações de saúde da mulher e da criança. Ao entender que a ação do ACS vai além da saúde curativa e preventiva e pode gerar ações de promoção da saúde, este trabalho tem por objetivo analisar o papel do ACS na promoção da saúde. A fundamentação teórica baseou-se nos conceitos de promoção da saúde, saúde, paisagem e território. Para atingir os objetivos propostos preocupou-se em realizar uma pesquisa bibliográfica considerando a relevância do tema, dessa forma, definiram-se os seguintes procedimentos: levantamento de referências e levantamento na internet. Como resultados, constataram-se algumas experiências promotoras da saúde desenvolvidas por ACS. Foi possível perceber que os ACS trabalham conforme o estabelecido pelo ministério da saúde, porém, ainda necessita de avanços no que se refere ao desenvolvimento de ações de promoção da saúde.

ACS. Promoção da saúde. Revisão da literatura. Geografia da saúde.

Palavras-chave:

  • Facebook Clean
  • Twitter Clean
  • Google+ Clean